X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Voltar para a Home
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

Clique e saiba mais
América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

All Sign

MRP Racing

RX Graphics

Pakato Moto Peças

Red Dragon

Circuit

Azzi Racing

Global Cyclens

Pneus Technic

Ohlins

> Colunas
> Preparação da Moto

Publicado em: 19/02/2008

Regulagem das molas das suspensões

Veja o passo a passo para um ajuste correto
Por Valmir Polaco e Equipe MotoX - Fotos: Ronaldo Ribeiro


O ajuste do SAG é o primeiro passo para uma regulagem correta da suspensão

Muitos pilotos quando adquirem uma moto nova ou usada, nacional ou importada, para lazer ou participar de competições no motocross ou enduro, não tem idéia de como deve ser o ajuste das suspensões desta motocicleta.


Foto 1 - Pré-carga é aquela aplicada na mola antes da instalação na motocicleta (sem peso)
Nem sempre este usuário é questionado pelo vendedor sobre seu peso, estatura e qual modalidade irá praticar. No meu ponto de vista esta pergunta deveria ser obrigatória, para que fosse feita uma regulagem nas suspensões de acordo com a utilização a que a motocicleta será submetida.
 
O que mais impressiona é saber que 40% dos pilotos não imagina que as suspensões necessitam dessas informações básicas para trabalhar corretamente e atingir uma ótima performance. Já presenciei casos como de um cliente que comprou uma Honda Tornado um modelo trail, portanto para uso misto, colocou os acessórios de pista e foi praticar motocross dizendo que a motocicleta estava se comportando 100% nos saltos e buracos.
 
Ou mesmo outro que há dois anos e meio andava com uma moto importada de  450cc nas trilhas e provas de enduro. Neste caso o problema é que ele tinha 110kg (portanto mais de 20kg a mais do que o peso para o qual o projeto de fábrica é indicado), mas para ele a moto era perfeita. Na verdade o ajuste desta suspensão poderia melhor muito o aproveitamento deste usuário, mas o vendedor jamais perguntou qual seria a utilização da moto (trilha ou motocross) e o peso do piloto, e sem orientação ela não passou por nenhum ajuste.
 
Outro caso mais delicado foi de um piloto que afrouxou toda a porca (pré-carga) que sustenta a mola traseira do amortecedor, para poder alcançar os pés no chão... neste caso a melhor opção sempre será alterar a altura da espuma do banco, mas jamais ter este procedimento que foi adotado, pois ele impede uma regulagem correta da suspensão.


Foto 2 - O piloto deve medir o SAG de sua moto com frequência  
Exemplos como este mostram o quanto os praticantes do off-road são carentes em informações e técnicas para o ajuste das suspensões. Nesta matéria
passamos as técnicas que devem ser adotadas na regulagem das molas da suspensão, o famoso SAG (Suspension Adjustments Gap), primeiro ajuste para um perfeito funcionamento das suspensões.  

Conhecendo o procedimento procure um mecânico ou preparador de confiança e peça para ele fazer a regulagem do SAG na sua motocicleta. Independente da modalidade que será praticada ajustar o equipamento é fundamental para sua segurança e trará maior eficiência para o seu equipamento.  

Lembre-se que este é só o primeiro passo para você colocar uma motocicleta nas pistas ou trilhas com uma performance adequada ao seu perfil. Se for constatado que o SAG está incorreto você terá uma suspensão trabalhando errada, portanto não deixe de fazer o ajuste.

A regulagem das suspensões é extremamente complexa e, depois desse passo inical, você ainda terá 8 passos a percorer em uma suspensão até entrar nas preparações especializadas envolvendo válvulas, fluídos, genéticas, hidraúlicos etc. O resultado final de seu trabalho no ajuste de uma suspensão é diretamente proporcional a sua capacidade de entender seu funcionamento. 


Foto 3 - O SAG livre mostra se a mola é a ideal para a utilização pretendida
Classificamos o ajuste do SAG em três fatores:


Pré-carga: A carga aplicada na mola com o amortecedor antes de instalado na moto, ou seja sem nenhum peso em cima dele (foto 1).  

SAG: O deslocamento verificado quando é colocado o peso do piloto (equipado) sobre a motocicleta (foto 2). 

SAG Livre: O deslocamento que uma suspensão apresenta quando é submetida ao próprio peso da motocicleta, sem o piloto (foto 3). 

Para regulagem do SAG (ajuste das molas das suspensões) devemos seguir os seguintes passos:

1 - Começamos pela suspensão traseira, que permite um ajuste simples e fácil da pressão da mola através da rosca localizada no alto do amortecedor. Com a moto em cima do cavalete, defina 2 pontos fixos para fazer a medição de uma linha imaginária, o mais vertical possível (por exemplo o eixo da roda e paralama ou o bico da ponteira de escapamento). É importante marcar (com uma caneta ou fita adesiva) o ponto exato onde será realizada a medição (foto 4).

2 - Ainda com a moto em cima do cavalete, meça a distância entre os 2 pontos fixos e anote (Distância 1).

3 - Retire a moto do cavalete. Em seguida o piloto deve subir na motocicleta com o equipamento de proteção completo (para atingir o mesmo peso do momento da pilotagem) ficando em pé sobre as pedaleiras. Faça o movimento de compressão, exercendo peso sobre a suspensão deixando ela retornar em seguida, repetindo por 3 vezes o procedimento. Meça novamente a distância entre os dois pontos fixos e anote (Distância 2). Importante: não se deve sentar nem apoiar no guidão durante a medição, o peso do piloto deve estar distribuido sobre as pedaleiras. 

4 - Pegue o número encontrado na medição inicial (Distância 1) subtraia a Distância 2 e encontre o SAG exato (veja abaixo os números de SAG recomendados pelo preparador Valmir Polaco de acordo com a motocicleta e modalidade).


Para medição correta o piloto deve ficar com o peso sobre as pedaleiras
Para ajustar o SAG devemos atuar a Pré-carga da mola ou seja, se o SAG é maior do que o indicado devemos aumentar a Pré-carga da mola (apertando a rosca), se o SAG apresentado é menor que o indicado devemos diminuir a Pré-carga da mola (soltando a rosca). 

Na suspensão dianteira é possível fazer o mesmo procedimento. Pode-se utilizar como ponto fixo o parafuso da mesa e o eixo da roda. Faça as medições assim como na suspensão traseira (primeiro com a moto no cavalete, depois com o piloto sobre a moto) e anote as medidas. A diferença é que neste caso, como não existe uma regulagem de rosca como da supensão traseira, é necessário colocar ou retirar um calço (interno) para encontrar o ajuste perfeito.

Medida do SAG (números recomendados pelo preparador Valmir Polaco)

Motocicletas Importadas
Enduro: SAG traseiro de 100 a 110mm
Rali: SAG traseiro de 98 a 103mm
Motocross : SAG traseiro de 95 a 105mm
Supercross: SAG traseiro de 90 a 95mm
Supermotard: SAG traseiro de 80 a 85mm
Veloterra: SAG traseiro de 85 a 90mm

Enduro: SAG dianteiro de 80 a 85mm
Rali: SAG dianteiro de 77 a 83mm
Motocross : SAG dianteiro de 75 a 80mm
Supercross: SAG dianteiro de 70 a 75mm
Supermotard: SAG dianteiro de 65 a 70mm
Veloterra: SAG dianteiro de 68 a 72mm

Motocicletas Nacionais (Calculo em percentagem do curso das suspensões)
Enduro: SAG traseiro de 42%
Rali: SAG traseiro de 41%
Motocross: SAG traseiro de 40%
Supermotard: SAG traseiro de 30%
Veloterra: SAG traseiro de 35%

Enduro: SAG dianteiro de 30%
Rali: SAG dianteiro de 28.5%
Motocross: SAG dianteiro de 27%
Supermotard: SAG dianteiro de 20%
Veloterra: SAG dianteiro de 25 % 

SAG Livre Traseiro


Foto 4  - A primeira medida deve ser feita com a moto no cavalete
O SAG livre traseiro aponta se realmente a mola é a ideal para a modalidade, peso do piloto e utilização que se pretende para a motocicleta, por isso deve ser medida após o ajuste do SAG. 

1 - O primeiro passo é abrir os cliques do retorno da suspensão traseira nos modelo que possuem esta regulagem, caso das motos importadas. Não esqueça de contar os cliques para saber a posição exata em que está a regulagem, permitindo assim o retorno para mesma posição após o término do procedimento. Na sequência coloque a moto sobre um cavalete e meça a diferença entre os dois pontos fixos, Distância 1 (Foto 4).

2 - Retire a moto do cavalete e pressione a suspensão deixando-a retornar para então medir novamente a diferença entre os pontos fixos (Distância 2). Este procedimento deve ser realizado sem o piloto em cima da moto.

O resultado do SAG livre é igual a Distância 1 menos a Distância 2. Nas motocicletas importadas (com suspensões de grande curso) ele deve apresentar um valor de 16 a 26mm para as modalidades motocross, enduro e rali. No veloterra e supermotard o ideal é um número entre 10 e 20mm. Para as motos nacionais (que possuem um curso menor) o valor deve estar entre 14 e 24mm para motocross, enduro e rali. A medida para veloterra e supermotard é de 9 a 18mm.

Caso o SAG livre apresentado seja menor que esses valores é necessário montar uma mola mais dura. Apesar de parecer um contra-senso a explicação técnica é a seguinte: se o piloto for mais pesado é preciso aplicar uma pré-carga maior em cima da mola para obter um SAG perfeito. Ocorre que a energia devolvida pela mola também é maior e isso reflete no momento de se fazer o SAG livre, que acaba apresentando um número menor. A mola mais dura exigirá menos pré-carga mostrando no final um resultado maior no SAG livre.

Se os valores forem maiores é preciso montar uma mola mais mole. O raciocínio é o mesmo da situação inversa, pois a mola mais macia necessitará de mais pré-carga, resultando em um SAG livre menor.


O ajuste do SAG na suspensão dianteira é mais complexo já que exige a abertura das bengalas

Outras dicas importantes: 
- É preciso tomar muito cuidado com as folgas das buchas e rolamentos de links que podem provocar medições incorretas. Quando necessário faça a substituição destas peças, pois elas são fundamentais para o perfeito funcionamento do sistema.
- O ajuste do SAG deve ser feito com frequência já que fatores como uma simples regulagem da corrente de transmissão alteram e influenciam a medida. 
- Lembre-se: sempre que fizer um ponto de medição faça uma marca no local (referência para não errar o local na medição seguinte).



Valmir Polaco, nosso colaborador nesta coluna, além de preparador e piloto é proprietário da Polaco Preparações.
    



Vídeos MotoX Connect