X Fechar
X Fechar

X Fechar
foto
Salvar nos Favoritos

X Fechar
foto
Voltar para a Home


Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais
Clique e saiba mais

América Sports

Capacete Companhia

RM - Motocross Racing

All Sign

MRP Racing

RX Graphics

Pakato Moto Peças

Red Dragon

Circuit

Azzi Racing

Global Cyclens

Pneus Technic

Ohlins

> Colunas
> Preparação Física

Publicado em: 06/09/2010

Motocross x Enduro x Rali

Guia MotoX de Preparação Física
Redação MotoX.com.br - Por Roberto César de Oliveira (Prof. de Educação Física e Fisiologista)
Fotos: Maurício Arruda / Renato Fernandes e Idário Café


Motocross...


...Enduro e...
Durante todo o tempo que trabalhei com a preparação física de pilotos do motociclismo off road, sempre surgiram dúvidas com relação as características fisiológicas que envolviam as diferentes modalidades. Sabíamos que existiam diferenças, mas não sabíamos o quanto. Pilotos treinavam para o motocross e participavam também do enduro. Pilotos de fim de semana que treinavam para o enduro e queriam correr um rali. Enfim, depois de algum tempo se percebeu que existiam características diferentes que diferenciavam o treinamento físico e técnico das diferentes modalidades. Trabalhos científicos publicados sobre a modalidade sempre foram muito escassos. 

Em 2005, o médico e fisiologista italiano Alberto Gobbi e sua equipe, publicaram um importante artigo científico, em uma conceituada revista de medicina esportiva, sobre as características fisiológicas que envolviam essas três modalidades do motociclismo off road. O autor reuniu pilotos de elite das três modalidades e avaliou a gordura corporal, capacidade aeróbia máxima, média de frequência cardíaca nas provas, força e concentrações de ácido láctico dos mesmos.

Resumidamente os resultados foram os seguintes:


...Rali tem características diferentes, exigindo treinamento físico específico
1- Com relação a gordura corporal, os pilotos de enduro apresentavam uma quantidade menor do que os atletas de motocross e menor ainda dos de rali.
2- A potência aeróbia máxima, que é a máxima capacidade de absorver, transportar e utilizar o oxigênio, se mostrou significativamente maior para os pilotos de motocross em relação aos outros.
3- A média de frequência cardíaca atingida foi bem próxima da máxima, também comprovada em trabalho que realizei em 2003 com pliotos brasileiros, foi maior no motocross em relação ao enduro e o rali, demonstrando que existe uma alta sobrecarga cardíaca durante as provas.
4- A força, uma das qualidades físicas mais importante para o motociclismo off road, mais uma vez mostrou resultados superiores para os pilotos de motocross em relação aos outros. Na força de preensão de mãos, um teste específico para este seguimento, não houve diferença entre os pilotos somente para a mão esquerda.
5- O ácido láctico, importante composto orgânico que utilizamos para sabermos sobre limitações e a intensidade do exercício, mostrou o motocross como uma modalidade de alta produção, bem maior do que o enduro e o rali.

Contudo, comprovado através de evidência cientifica, as diferenças entre as modalidades existem e precisam ser treinadas de forma diferenciada e específica. Tempo de prova, tipo de pista, características do regulamento, modelo da moto; tudo isto faz com que todo o trabalho físico e técnico deva ser diferente e obrigatoriamente adaptado as condições da competição. Qualidades físicas como resistência aeróbia e anaeróbia, força dinâmica e estática, flexibildade e agilidade, entre outras, necessitam ser trabalhadas de forma diferente para se atingir o condicionamento desejado. Características psicológicas importantíssimas para o esporte motorizado como concentração, controle do estresse, relaxamento; também se diferenciam nestas modalidades. Alimentação e hidratação fundamentais para o melhor rendimento, também se diferenciam principalmente para as corridas de longa duração. Uma boa programação de treinamento físico, técnico e psicológico, observando-se as competições alvo e focando o objetivo do trabalho, levará o piloto a desempenhos acima da média nas pistas.

Bom treino!

Roberto Cesar de Oliveira
Professor de Educação Física e Fisiologista do Exercício.
Mestre pela UNIFESP- Universidade Federal de São Paulo.
Pós-Graduado em Treinamento Desportivo pela UNICAMP.
Pós-Graduado em Fisiologia do Exercício pela UNIFESP.
Autor do Livro: "Personal Training - uma abordagem metodológica".

Contato: (11) 9119-9908 ou (11) 3501-0322
performa@uol.com.br



Vídeos MotoX Connect